• Imagem do ppgecea da uefs

Parcerias e Eventos


O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental desenvolve pesquisas nas áreas de Materiais de Construção, Estruturas e Saneamento Ambiental com foco na temática da sustentabilidade e nas demandas de desenvolvimento do Semiárido. Por estar sediada no interior e ter sido o primeiro curso de pós-graduação stricto sensu em Engenharia Civil e Ambiental da Bahia, possui boa interação com a sociedade, notadamente com Prefeituras de cidades de pequeno porte e com Associações Comunitárias, como o MOC (Movimento de Organização Comunitária), APAEB (Associação dos Pequenos Agricultores da Bahia), ASA (Articulação do Semiárido), bem como com FUNASA e a iniciativa privada.

O corpo docente tem uma boa inserção nacional, o que tem permitido a realização de convênios com diversas instituições. Em 2009, foi realizado o I Encontro Nacional sobre Aproveitamento de Resíduos na Construção, com a participação de várias instituições na organização nacional (USP, UFRJ, UFAL, UVA e UFSC). Em 2012, a UEFS sediou o II Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental, que envolveu todas as Universidades Baianas e teve como presidente do evento o professor Sílvio Roberto Magalhães Orrico, professor do PPGECEA. Em 2013 o PPGECEA sediou o Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água da Chuva. Em 2018, sediou o BADUCON (2018) em parceria com o PPEC-UFBa. O PPGECEA apoiou também o GEOBASE 2017 - primeiro Seminário Geotécnico Bahia/Sergipe, realizado pela ABMS, e contou com o apoio das Universidades FTC, UNIJJORGE, UFBA, UEFS, UNIFACS, UFS e UNEF. Em 2019, o PPGECEA apoiou a segunda edição do GEOBASE, realizada no campus da UFRB – Universidade Federal do Recôncavo Baiano. Em 2022 o PPGECEA está organizando o 4o Congresso Luso-brasileiro de Materiais de Construções Sustentáveis, juntamente com o PPEC da Escola Politécnica da UFBA, da mesma forma que nas edições anteriores.

A trajetória do PPGECEA é marcada pelas parcerias de cooperação científica e tecnológica com outras Instituições de Ensino Superior (IES), empresas do setor público e privado e organizações sociais. Como exemplo, podemos citar:

(i) O estudo do aproveitamento do biogás, gerado nas estações de tratamento de esgotos da Embasa, para geração de energia que foi realizado, mediante Convênio de Cooperação para P&D entre a Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS, Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia - COELBA e a Empresa Baiana de Águas de Saneamento S.A – EMBASA (identificado na ANEEL como PD-0047-0066/2012).

(ii) A parceria com as instituições Articulação do Semiárido (ASA), de Pernambuco, e o Movimento de Organização Comunitária (MOC), da Bahia, que permitiu o desenvolvimento de projetos para melhoria dos sistemas construtivos de captação e armazenamento de água da chuva e para avaliação da qualidade da água utilizada na zona rural do Semiárido.

(iii) Em conjunto com a empresa Águas Claras Ambiental, tem sido realizada avaliação do agregado reciclado produzido e estabelecido novos usos na construção civil.

(iv) A parceria com a FUNASA e as parcerias mais recentes com a Central das Associações de Operação de Serviço e Saneamento, responsável pela operação do serviço de abastecimento de água em 62 comunidades do interior da Bahia e com a empresa Sustentare Saneamento S.A., que realiza a coleta e disposição final em aterro sanitário dos resíduos sólidos gerados em Feira de Santana.

(v) Em 2006, o PPGECEA participou, juntamente com a UFBA, UENF e COPPE/UFRJ, do Projeto PROCAD intitulado “Experimentação e Modelagem Numérica de Materiais e Estruturas de Baixo Impacto Ambiental”.

(vi) Em 2009, participou do PRO-ENGENHARIAS com a UNISINOS, UFPA e UFRGS no projeto intitulado “Controle dos parâmetros responsáveis pela variabilidade dos agregados de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) com vistas à transferência tecnológica”. Em 2012 a CAPES/CNPq aprovou o projeto “Desenvolvimento de placas construtivas sustentáveis de fibrocimento contendo fibras vegetais e resíduos urbanos”, realizado em conjunto com a Universidade do Minho (UMinho), em Portugal.

O termo de cooperação técnica assinado entre a Empresa Baiana de Saneamento (EMBASA) e a UEFS, dando livre acesso de professores e alunos do PPGECEA às Estações de Tratamento de Esgoto operadas pela (EMBASA), permite não somente o aproveitamento dos estudos que visam o reaproveitamento do lodo de esgoto, como também um novo enfoque para a geração de energia a partir do biogás cujo tema já resultou em 02 (duas) dissertações de mestrado concluídas e outra em andamento. O novo Convênio está sendo assinado com a empresa Sustentare Ambiental S. A., que opera o aterro sanitário de RSU em Feira de Santana-Ba, buscando consolidar a parceria público-privada na busca de soluções inovadoras.

Recomendar esta página via e-mail: